Marapa e ATM capacitam agentes para proteção da tartaruga marinha

0
512

São Tomé, 27 Set (STP-Press) – Cerca de 24 guardas marinhas das praias são-tomenses iniciaram uma formação de capacitação visando a proteção das tartarugas marinhas em São Tomé e Príncipe, – anunciou terça-feira a Coordenadora da Associação de Tartaruga Marinha, ATM, Sara Viera.

Sara Viera disse que esta formação é uma organização conjunta da ATM e a ONG Marapa em parceria com o Programa TATÔ, tendo sublinhado que o “homem é a principal ameaça para as tartarugas marinhas no mundo” e consequentemente em São- Tomé e Príncipe.
No arquipélago são-tomense a ameaça as tartarugas marinhas continua a ser “ a captura e a comercialização desta espécie já em extinção” – disse Sara Viera tendo revelado que a formação é anual com sessões teórica e prática à todas as equipas de guardas espalhadas em diferentes praias das ilhas de São-Tomé e Príncipe.
Disse ainda que além da formação aos guardas de proteção nas praias, o Programa Tatô em parceria com a ONG Marapa tem ainda desenvolvido acções de campanha de sensibilização, sobretudo, juntos as antigas vendedoras da carne de tartaruga no sentido de se encontrar actividade económica alternativa a comercialização desta espécie.
Entrevistada pela STP-Press, Hipólito Lima, um dos beneficiários com a formação destacou a importância turística da tartaruga marinha para São-Tomé e Príncipe, tendo sublinhado que “ há turista que só vem a São-Tomé para ver a nossa tartaruga”.
São Tomé e Príncipe tem cinco dos sete tipos de tartarugas existentes no mundo.
Fim/ RN/ ES/NS

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Seu nome