São-Tomé, 7 Nov. (STP-Press) – o antigo presidente são-tomense, Fradique de Menezes foi ouvido no caso corrupção judicial da “Rosema”, e decidiu esta tarde interpor uma queixa-crime contra o presidente do Tribunal Supremo de Justiça, um dos seus juízes bem como o antigo assessor desse Tribunal, – revelou hoje o representante do ex-presidente, o advogado Adelino Pereira.

Fradique de Menezes decidiu apresentar queixa-crime contra o presidente do Tribunal Supremo de Justiça, Silva Cravid, o juiz conselheiro, Frederico da Glória e assessor demitido desse Tribunal, Justino Veiga pela forma “abusiva” como o seu nome foi referenciado na qualidade de testemunha neste processo judicial – revelou Adelino Pereira a saída do ministério público.

O advogado sublinhou que “ ex-presidente Fradique de Menezes sentiu-se lesado na sua imagem e no seu direito pela forma abusiva como o seu nome foi referenciado no caso”-, tendo argumentado que “ o senhor presidente Fradique de Menezes nada tem a ver e nunca teve a ver com toda esta situação”.

 Pereira concluiu que “ o seu nome (Fradique de Menezes) não pode ser utilizado pelo terceiro sem o seu consentimento, lesando a sua imagem para um processo que em nada o dignifica”.

Tendo revelado que o antigo presidente da república foi ouvido na sua residência na qualidade de testemunha pelo ministério público, o representante de Fradique de Menezes declarou que “ fê-lo na perspectiva de ajudar a justiça no esclarecimento cabal da verdade dos factos”.

Além da queixa movida pelo presidente do Supremo contra o seu antigo assessor Justino Veiga, por alegada tentativa de corrupção aos magistrados, o administrador da cervejeira, Domingos Monteiro, vulgo “Nino” também interpôs uma queixa-crime contra Justino Veiga, Delfim Neves e Osvaldo Vaz, por alegada tentativa de corrupção que visava a reabertura do processo referente a “Rosema”.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome