São-Tomé, 8 Fev. ( STP-Press) – São-Tomé e Príncipe e Portugal assinaram um programa quadro de cooperação para o triénio 2018-2020 e de um memorando de entendimento sobre a permanência, de um navio patrulha português nas águas do arquipélago, tendo os documentos sido rubricados quinta-feira pelos ministros da Defesa de Portugal e da Defesa e Administração Interna são-tomense, José Azeredo Lopes e Arlindo Ramos, respectivamente.

Na presença do primeiro-ministro de São Tomé, Patrice Trovoada, os dois documentos foram rubricados hoje a bordo do navio patrulha Zaire que já se encontra nas águas são-tomense em resposta a um pedido das locais no âmbito do reforço das capacidades de fiscalização numa missão de capacitação operacional marítima da guarda costeira são-tomense.

O ministro da Defesa de Portugal, José Azeredo Lopes disse que os acordos vão contribuir, sobretudo, “para a coerência das políticas externas e de cooperação dos dois Estados com benefícios que se querem mútuos e partilhados”.

Acrescentou que o navio de guerra de Portugal procederá ainda a patrulha numa zona do globo com maior papel no comércio internacional, onde se concentra uma percentagem considerável da produção de petróleo e de hidrocarbonetos, revelando a necessidade de uma maior rigor de proteção.

O ministro são-tomense da Defesa e da Administração Interna considerou a assinatura dos dois documentos como “um ato histórico na viragem da cooperação com Portugal no âmbito daquilo que é a componente defesa a nível da segurança marítima e das forças armadas”.

Além de 36 efetivos da marinha portuguesa, a tripulação do Zaire conta ainda com elementos das Forças Armadas de São Tomé que poderão participar em missões de paz e humanitárias a serem equacionadas por ambos os Países.

Fim/RN

Pode ouvir excerto da declaração no Registo Áudio da STP-Press”

Ministro da Defesa de Portugal João Azeredo Lopes

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Esta cooperação é de excelência deveras extrema.

    Portugal tem uma enorme costa do mar, com experiência ao longo dos séculos anos, sobre o domínio das questões do mar , tanto a nível da navegação, de defesa, econômico, social, ambiental, é de louvar no quadro desta cooperação, deve-se ou venha-se estreitar ainda mais as sinergias, domínios visão estratégica para a questões do atlântico norte/sul – este oeste, os desafios do mar, a questão dos recursos halêuticos seus conhecimento monitorização, investigação, a questão do desporto e lazer marítimos, a questão das infraestruturas marítimas, frota marítima, cais de conveniência, porto de aguas profundas, a questão da logística marítima, ciência do mar, a produção na aquacultura, até a questão da domestica, medicamentos, etc, etc…para o beneficio mutuo, entre os dois países irmãos.

    De recordar que o Brasil, Cabo verde, Angola, Moçambique, Timor Leste, outros importante países falantes do Português, com costas marítimas, para troca de conhecimento e experiências, do que se faz, a nível dos recursos halêuticos, na nível da defesa, de lazer turismos e desportos, de ciência marítima, dos hidrocarbonetos, etc, etc….

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe Portugal

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    És cidadão SãoTomense, acredita em ti, és capaz, organiza-te

  2. De lembrar a importância da parceira a cooperação estratégica com o Japão e a China, nesta área crucial da economia do mar.

    Passando pelo acordos com países a oeste nas zonas de sobreposições de fronteiras, ou de exploração conjunta, em termos de defesa e segurança, recurso haleuticos, protecção ambiental marítima.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe Portugal

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    És cidadão SãoTomense, acredita em ti, és capaz, organiza-te

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome