São-Tomé, 16 Marc (STP-Press) – São Tomé e Príncipe passou na análise de rendimento nacional bruto e acesso a melhores cuidados de saúde e educação, de acordo com as informações divulgadas esta manhã pela ONU News.

São Tomé e Príncipe juntamente com Butão, Kiribati e Ilhas Salomão podem ser recomendados pelas Nações Unidas para graduação à categoria de economia de renda média, tal como escreveu hoje a ONU News, citando, o Comité da ONU para Política de Desenvolvimento.

O Comité da ONU para Política de Desenvolvimento revelou, esta quinta-feira, os quatro Países devem ser analisados ainda este ano e que a recomendação do Comité deve ser endossada pelo Conselho Económico e Social.

Timor-Leste e Nepal ficaram de fora da lista dos países recomendados embora cumpram os critérios de graduação por “desafios económicos e políticos”. Ambos poderão vir a ser novamente considerados na revisão do órgão a decorrer em 2021, caso continuem na mesma situação.

Angola foi citada pela Comissão pela possível passagem para economia de renda média em 2021.

Em termos de critérios, os quatro países da lista obedecem aos preceitos de rendimento nacional bruto e acesso a melhores cuidados de saúde e educação.

O representante de São Tomé e Príncipe junto às Nações Unidas, Alcínio e Silva, afirmou que o processo de graduação é um reflexo do trabalho de desenvolvimento que o governo sãotomense começou a fazer há vários anos.

Relativamente a vulnerabilidade, a News acrescenta que “São Tomé e Príncipe tem seu plano próprio de desenvolvimento e acentua-se principalmente nos progressos alcançados, no rendimento per capita e na formação do capital humano que o país considerava que satisfazia os critérios de elegibilidade apesar do incumprimento do índice de vulnerabilidade econômica.”

De acordo com Alcínio e Silva, existem ainda alguns desafios no quadro atual de São Tomé e Príncipe o que se deve também por sua localização geográfica e os problemas da mudança climática.

Entre 2003 a 2018, São Tomé e Príncipe conseguiu triplicar o Produto Interno Bruto, PIB, e baixar a taxa de mortalidade das crianças com menos de  cinco anos. Além disso, o país mais do que dobrou o número de matrículados no ensino secundário.

Tal como Butão, Kiribati e Ilhas Salomão, São-Tomé e Príncipe continua a cumprir os critérios de renda per capita e de desenvolvimento humano, mas não o de vulnerabilidade económica.

Fim/ RN/ Fonte ONU News

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome