São-Tomé, 12 de Abril de 2018 (STP-Press) – São-Tomé e Príncipe faz parte de um grupo dos Países da África Ocidental a ser beneficiado com um financiamento de 210 milhões de dólares que Banco Mundial,BM, acaba de aprovar para sustentar projectos ambientais contra erosão costeira nesta sub-região africana, – Soube hoje a STP-Press junto do BM para África

Em comunicado de imprensa enviado esta manhã a STP-Press, o Grupo do Banco Mundial anuncia que “aprovou segunda-feira em Washington um pacote no valor de 210 de dólares milhões para financiar um projeto para aumentar a resiliência das comunidades do Benim, Costa do Marfim, Mauritânia, São Tomé e Príncipe Senegal e Togo”

O Projeto de Investimento em Resiliência das WACA, liderado por governos da África Ocidental, irá proteger contra a erosão costeira através de diversas atividades, que incluem a fixação de dunas, a reposição de zonas húmidas e mangais, a reconstrução de praias e a construção de diques e paredões, – lê-se em comunicado assinado por Wilson Piassa assessor de imprensa do Banco Mundial para África.

O documento acrescenta que o projecto visa reduzir a possibilidade de inundações reabilitando lagunas e sistemas de drenagem e melhorando a gestão das bacias hidrográficas. As intervenções previstas irão também apoiar o controlo da poluição através de um melhor tratamento dos lixos marinhos, dos derrames de petróleo e dos resíduos industriais e municipais.

Cerca de 42% do PIB da África Ocidental é gerado nas áreas costeiras, onde reside quase um terço da população e onde as comunidades são particularmente vulneráveis ​​aos efeitos de um deficiente desenvolvimento costeiro e das alterações climáticas, em particular a erosão costeira severa e inundações frequentes.

Para sustentar investimentos e atrair mais investidores, o projeto irá fornecer assistência técnica para o planeamento territorial integrado regionalmente, preparar um relatório anual sobre o estado das costas da África Ocidental e apoiar a revisão e aplicação de leis e protocolos que contribuam para que as orlas costeiras sejam saudáveis ​​e produtivas.

O projeto irá ainda impulsionar a cooperação regional para enfrentar a erosão costeira, trabalhando com quatro instituições regionais – a União Económica e Monetária da África Ocidental (UEMOA), a Convenção de Abidjan, o Centro para a Monitorização Ecológica (CSE) de Dakar e a União Internacional para Conservação da natureza (IUCN).

O pacote financeiro inclui um crédito de $120 milhões e um subsídio de $70 milhões da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA) e um subsídio de $20,25 milhões do Fundo Global para o Meio Ambiente. O Fundo Nórdico de Desenvolvimento fornecerá um adicional de EUR13,1 milhões para melhorar a resiliência climática nas regiões costeiras, e o Fundo Francês para o Meio Ambiente Mundial financiará infraestruturas leves, o planeamento do uso da terra e soluções baseadas na natureza contra a erosão costeira no valor de EUR1,3 milhões, Lê-se no documento

Espera-se que mais parceiros se juntem ao esforço através de uma nova Plataforma que impulsionará a transferência de conhecimentos, mobilizará financiamentos adicionais e fomentará o diálogo político entre os países e protegerá a costa da África Ocidental.

Fim / RN e  WP ( Assessor de impensa do BM para África)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome