Por: Ricardo Neto, Jornalista da Agência Noticiosa STP-Press

São-Tomé, 13 Abr (STP-Press) – O líder da segunda maior força parlamentar são-tomense, PCD, Arlindo Carvalho defendeu quinta-feira que o seu partido “sempre esteve a favor da reforma dos tribunais”, mas somente na base do “diálogo e com 2/3 de aprovação” parlamentar.

Em declarações a imprensa, o presidente do Partido da Convergência Democrática, Arlindo Carvalho sublinhou que “nós queremos mais uma dizer que PCD sempre se pronunciou a favor da reforma dos tribunais … mas devem passar por passos diálogo”.

Além das forças políticas no exercício de diálogo, o líder do PCD defendeu também o envolvimento da sociedade civil, dos próprios tribunais e de outras entidades e agentes do sistema jurisdicional são-tomense bem como órgãos afins.

Essas reformas devem passar por diálogo entre as forças políticas entre a sociedade civil e devem envolver os tribunais” – disse o presidente do PCD, para depois acrescentar que “ para que esta reforma possa ser refletida, e possa ser participada e consensual”.

Arlindo Carvalho acrescentou que “qualquer proposta de reforma dever ter aprovação da Assembleia Nacional por uma maioria de 2/3 dos deputados” para seja uma reforma “sustentável” em respeito a constituição, a democracia e aos direitos fundamentais.

O líder do PCD falou ainda da paralisação das aulas na única Universidade Pública do País, tendo apelo as duas partes, designadamente os alunos e o ministério a um clima de diálogo para se ultrapassar o impasse.

Fim/RN

#Pode ouvir Registo Áudio da STP-Press#

Declaração do Presidente do PCD, Arlindo Carvalho

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome