Patrice Trovoada anuncia medidas sociais em favor do ‘’Povo Pequeno’’ no norte de São Tomé

2
444

Por: Manuel Dendê, Jornalista da Agência Noticiosa STP-Press

São Tomé, 19, Abr (STP-Press)-  Patrice Trovoada, primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe acaba de lançar, no norte da ilha de São Tomé, algumas medidas sociais, em beneficio da população que considera ‘’Povo Pequeno’’.

Das medidas, destaque para introdução de micro- credito e micro–finanças na localidade de Stª Luzia, no distrito de Lobata, bem como o anuncio para breve a extensão da rede eléctrica de EMAE e água potável para algumas comunidades de Lobata.

Lobata, com pouco mais de 16 mil pessoas, dista mais de 16 km da cidade de São Tomé, capital de São Tomé e Príncipe.

Apoio financeiro é garantido, através de um banco camaronês, que, vai garantir financiamento para a construção de capoeiras, para proteger galinhas e galos ofertados pelo governo, no âmbito destas medidas sociais.

A medida, anunciada em cerimónia presidida, pessoalmente por Patrice Trovoada e denominado MC-2, vai, comportar, igualmente, a viabilização de luz eléctrica algumas comunidades de Lobata, nomeadamente, Stª Luzia, stª Clara e Água Sampaio.

Além do administrador do Afriland First Bank, que viabilizou pequenos créditos renovados desde que haja eficácia na produção e no êxito do projecto, Policarpo Feitas (líder do município de Guadalupe) e chefes de comunidades beneficiadas, também, marcaram presença no certame.

Ao todo, foram beneficiados com tais créditos, os quais comportam 8 galinhas e  2 galos, 115 familias de comunidades de Stª Luzia, Stª Clara e Agua Sampaio.

O chefe do Executivo disse que o projecto social já experimentado com êxito em outros Estados africanos e sustentado pelo empresário camaronês,Paul Focan, dono do Afriland Firts Bank,vai, beneficiar, também, a população de zona sul da ilha de São-Tomé, no distrito de Cauê.

Cauê, é bom sublinhar, é apontado pelas organizações internacionais como a região mais pobre da república insular de São Tomé e Príncipe.

FIM/MD

#Pode ouvir Registo Áudio da STP-Press #

Declaração do Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada

2 COMENTÁRIOS

  1. É de louvar a iniciativa

    Esta é uma boa noticia

    Embora todo esforço deve ser feito no acompanhamento, formação, fiscalização das famílias beneficiadas, fiscalização e acompanhamento veterinário, das evoluções técnicas e tecnológicas, para o sucesso presente futuro desta ação.

    De recordar que esta ação deve estar inserida, no aumento da produção avícola e os seus derivados, que deveria assim incluir aves como perus, avestruzes , patos, codornizes, etc, etc, coelhos, cabras…valorização multiplicação de de algumas, espécies endêmicas.

    A mudança de comportamento somente poderá fazer sentir se se houver acompanhamento, fiscalização formação, capacitação, quer a nível de seleção produção/técnicas usadas/ uso de tecnologias de baixo custo/ processamento, venda, poupanças, retorno, novo investimento.

    Necessário ainda por definir a zona ou distrito de país(Território/População/Administração), onde se pretende que haja uma especialização capacidade, para criação de gado, bovino, caprino, ovino, onde a população local tenha apetência, para agricultura, pecuária, ou pesca, seu desenvolvimento para sustentar a criação de riqueza interna. Necessário organização/planeamento/trabalho.

    Ouvia-se um comentador referir no telejornal, “esta oferta que o governo deu”, necessário explicar as pessoas que jamais se trata de oferta.

    Que neste mundo ninguém da nada há ninguém sem esperar receber algo em troca.

    Vai ser necessário todo um trabalho, organização e empenho para que das oito galinhas e dois galos, se possa transformar no presente amanha num aviário de renome nacional regional internacional se possível.

    Ma sabemos pelo comportamento do Homem SãoTomense, bastará haver uma festa estes animais vão ser consumidos ou furtados.

    A necessidade faz o ladrão mediante a ocasião, é preciso de facto um acompanhamento fiscalização, múltipla abordagem a esta realidade sócio cultural econômica e financeira nacional.Ter uma estratégia, para um determinado sucesso fim.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tome e Príncipe

  2. Passa pela questão da avaliação organização das necessidades do mercado, comercio a retalho interno comercio interno/externo, local regional, por outro lado a questão da arrecadação do rendimento familiar interno, poupanças, retorno investimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome