Por:  Manuel Dênde Jornlista da Agência STP-Press

São Tomé, 20 abr. (STP-Press) – Uma nova praga de insectos vem atacando as plantas de frutas em São Tomé e Príncipe, – disse esta semana o ministro de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Teodorico Campos.

Tais declarações surgiram no acto de encerramento de um seminário de capacitação de 11 dias, que decorreu nas instalações do CIAT, em Potó, em Mé-Zóchi e que visava o combate biológico de tais pragas.

Tomaram parte no seminário, cerca de 40 pessoas, das quais, técnicos, agricultores de Canavial e Rio Lima e extensionistas.

A praga, segundo peritos agro-pecuários,  configura-se em duas espécies de moscas destruidoras de frutas, preferencialmente, goiabas.

Recorde-se que São Tomé e Príncipe saiu recentemente de uma praga de lagartas noturnas e que atacava várias plantas, sobretudo o milheiro.

E para São Tomé e Príncipe libertar-se de tais lagartas, autoridades são-tomenses viram-se obrigadas a fazerem apelo a FAO, que enviou peritos para observar e viabilizar medidas de combate as referidas pragas.

As autoridades apelaram ao Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento, PNUD, que acedeu a petição do Governo e financiou um seminário de capacitação para técnicos na perspectiva de empreenderem medidas visando o combate aos tais insectos.

Além de Campos, a indiana Zahvira Virane, Embaixadora do sistema nas Nações Unidas, em São Tomé, marcou presença no referido seminário assim como um consultor da internacional, Asfere Baldé.

A diplomata, na altura, apelou aos presentes para maior absorção de conhecimentos na perspectiva de se identificar medidas visando o combate das moscas da fruta.

Teodorico Campos mostrou-se preocupado com o alastramento de tais pragas, porque segundo o governante, uma eventual propagação dos insectos, pode por em causa medidas visando a garantia de segurança alimentar para a população do país.

Fim/MD

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome