Texto: Ricardo Neto ** Foto: InterMamata

São-Tomé, 03 Mai ( STP-Press ) –  O maior partido oposição são-tomense, MLSTP-PSD considerou hoje de “traição” a atitude dos seus próprios dirigentes, nomeadamente, Aurélio Martins, Jorge Amado e Vasco Guiva,  que subscreveram um projecto de resolução parlamentar com ADI no poder, visando destituição de três juízes do Supremo.

Através de um comunicado lido esta manhã por um dos vice-presidentes dos sociais-democratas, Américo Barros, o MLSTP-PSD considerou a postura dos três subscritores de “uma autêntica e grosseira traição ao partido, seus militantes simpatizantes e os amigos espalhados pelo País e na diáspora”.

Considerando ainda que o referido projecto de resolução “visa por sinal em perfeito casamento com os interesses do partido no poder ADI”, o MLSTP-PSD classificou a atitude dos seus dirigentes de “mais um golpe palaciano” ao Supremo Tribunal de Justiça, que sublinhou ser, “um dos principais pilares da democracia”.

Américo Barros disse que perante esses factos que “lesam gravemente os superiores interesses do partido e da sua tradição organizativa”, o MLSTP-PSD “manifesta a sua mais vil indignação, profundo repúdio e veemente condenação de uma decisão que é no mino ridícula”.

A reação do MLSTP-PSD surge 24 horas depois dos seus três dirigentes terem subscrito o projecto de resolução, apresentado quarta-feira na Assembleia Nacional (parlamento), visando a exoneração de três Juízes do Supremo Tribunal de Justiça, incluindo o presidente, Silva Cravid bem como os juízes Frederico da Glória e Alice Vera Cruz, por “usurpação” de poderes e “desrespeito” ao sistema.

Fim/RN

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome