Por: Ricardo Neto, jornalista da Agência Noticiosa STP-Press

São-Tomé, 7 Mai (STP-Press) – Partidos políticos da oposição são-tomense manifestaram hoje solidariedade para com os três juízes do Supremo Tribunal de Justiça, exonerados por uma resolução parlamentar que consideram de “violação da lei e da constituição” e exortam para a reposição da normalidade constitucional, tal como afirmaram os representantes partidários.

Além das forças parlamentares, nomeadamente, o MLSTP-PSD, PCD e UDD, esta a iniciativa de solidariedade contou ainda com representantes dos partidos ex-parlamentares que decidiram esta manhã visitar o juíz presidente do Supremo, Silva Cravid e os seus pares, designadamente, Frederico da Glória e Alice Vera Cruz, alvos de exoneração sexta-feira por resolução parlamentar.

Em declarações a imprensa, Jorge Bom Jesus, em representação do maior partido da oposição MLSTP-PSD, disse que “ aproveitamos a oportunidade para demarcarmos da aquilo que aconteceu na Assembleia Nacional” , tendo acrescentado que “ estamos aqui porque acreditamos na separação de poderes”.

Arlindo Carvalho, líder máximo do PCD sublinhou que “ viemos manifestar a nossa solidariedade para com os juízes do Supremo e manifestar a nossa indignidade por tudo quanto está passar no País sob interesse de alguns em manietar o poder, em ditar e passar por cima da constituição e das leis”.

Carlos Neves, representante do MDFM-PL, partido extra-parlamentar Neves sublinhou que “ estamos aqui para manifestar a nossa solidariedade para com os juízes do Supremo, porque, em causa está a liberdade que conquistamos, não podemos tolerar que uma pessoa ou um partido venha pôr esta liberdade em causa.

A visita dos partidos da oposição as instalações do Supremo Tribunal aconteceu esta manhã, período em que iniciava a paralisação dos serviços judiciais por parte da Associação Sindical dos Magistrados Judiciais, ASSIMAJUS, e da Comissão dos Trabalhadores Judiciais também em solidariedade para com os visados com a resolução parlamentar de sexta-feira.

Fim/RN

2 COMENTÁRIOS

  1. Tudo aqui cheira a corrupção e interesse partidários

    Sejamos sérios

    É de bom tom pesquisar investigar caros cidadãos, todas as noticias sobre o caso Rosema antes de 2009, ou no decorrer de 2009, para sabermos do que se trata efetivamente.

    Onde a fumo a fogo, igual a corrupção MLSTP, PCD;MDFM, ADI, os senhores ditos Juízes dos tribunais de São Tomé e Príncipe

    Senão caros compatriotas vejamos

    Caso Rosema

    Segundo fonte jornal Telá Nón, numa noticia publicada no dia 12 de Abril

    “O governo esgrime no comunicado, vários outros argumentos em defesa da Cervejeira Rosema, e do processo de venda da mesma em 2009 a favor do empresário nacional Nino Monteiro. Venda realizada, na altura com base numa carta rogatória enviada ao Supremo Tribunal de São Tomé pelo Tribunal angolano, solicitando apenas a penhora da cervejeira Rosema na altura pertença da empresa Ridux de Melo Xavier, no âmbito de um litígio que decorria em Angola entre a empresa Ridux e outra entidade privada angolana designada JAR.”

    “O Governo anuncia em comunicado que o caso Rosema já transitou em julgado e que foi arquivado pelo Supremo Tribunal de Justiça. No entanto em Dezembro do ano 2017, o Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça de São Tomé e Príncipe, Manuel Silva Gomes Cravid, garantiu que o caso Rosema está aberto. « Deu entrada na secretaria do Tribunal um requerimento que pedia o recurso de revisão da sentença do caso Rosema. Foi enviado ao Ministério Público que fez a sua aprovação. O juiz a seu tempo irá dar os tratamentos seguintes. O Juiz ainda não tomou nenhuma decisão», declarou o Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça em Dezembro de 2017.”

    “O Juiz Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, fez tais declarações, no auge da polémica em torno da cervejeira Rosema que reacendeu em São Tomé e Príncipe nos finais de Dezembro de 2017.”

    “No seu comunicado o Governo destaca a polémica de Dezembro de 2017, e recorda que corre os seus trâmites nas instâncias judiciais do país, uma queixa crime contra 3 cidadãos alegadamente envolvidos numa alegada tentativa de corrupção de juízes do Supremo Tribunal de Justiça, com objectivo de devolver a cervejeira Rosema ao empresário angolano Melo Xavier.”

    Fonte Telá Nón

    Só mesmo em São Tome e Príncipe

    Depois de quantos anos?????? De 2009 a 2018.

    Por outro lado os mesmo juízes que decidiram na altura, decidem agora o contraditório,…muito dinheiro debaixo de mesa, cada um a encher o bolso, País mais uma vez prejudicado.

    Se houve uma tentativa de corrupção(suborno) do Presidente do supremo tribunal de justiça, porque não mandou investigar primeiro.

    A decisão hora tomada, quais os verdadeiros pressupostos???? podem enganar alguns mais os mais esclarecidos não…
    Um conselho caros cidadãos ao invés de andarmos aqui a comentar, investiguemos e analisemos primeiro.

    Quando deve é a divida do grupo Melo Xavier para com o Estado fisco SâoTomenses(ao qual todos pertencemos), na altura ano de 2009?

    Aqui não se trata de defender a ninguém mais sim salvaguardar o mais elevado interesse do País, sentido de Estado(Território/População/Administração).

    Tenhamos juízo gente

    Caros cidadãos jamais se esqueçam está a aproximar as eleições, cada um a puxar a brasa a sua sardinha

    Porque no final a montanha pari ratos, eles comem e bebem juntos, o povo na miséria…

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  2. Investiguem, pesquisem antes de tomar partido seja de quem for

    Porque no final a montanha pari ratos, eles comem e bebem juntos, o povo na miséria…

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome