Por: Ricardo Neto, jornalista da Agência Noticiosa STP-Press

São-Tomé, 13 Mai (STP-Press) – “ Enquanto não realizarem congresso eu continuou presidente do MLSTP-PSD”, – disse Aurélio Martins, reagindo a decisão do Conselho Nacional que o suspende da liderança juntamente com outros cinco dirigentes por alegada “traição” ao partido.

“ Enquanto presidente do partido, saído do congresso, eu continuo presidente do MLSTP-PSD até a realização de um congresso extraordinário” disse Aurélio Martins acusando o conselho nacional de não ter competência para suspender o presidente.

Tendo sublinhado que “ o presidente não poder ser suspenso por nenhum órgão do partido”, Aurélio Martins sustentou que “ o congresso é o único órgão com competência para legitimar uma nova direcção”.

Considerando a suspensão de nula, Aurélio Martins acusou ainda o Conselho Nacional de ter desrespeitado os estatutos uma vez que é o presidente quem tem a competência para convocar o conselho ou dois terços dos membros, o que não teria acontecido.

Esta reação de Aurélio Martins surge na sequência da decisão do Conselho Nacional do MLSTP-PSD que decidiu suspendê-lo das funções do líder do partido juntamente com seus outros cinco dirigentes por alegada “traição” por terem subscrito uma proposta de resolução que culminou com a exoneração de juízes do Supremo.

Justificando a sua assinatura na proposta da resolução, o líder do MLSTP-PSD disse que subscreveu o documento em solidariedade para com os seus colegadas deputados, os Irmãos Monteiro, nomeadamente, Domingos Monteiro e António Monteiro que considera serem “os maiores financiadores” do partido.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome