Por: Ricardo Neto, jornalista da Agência de Notícias STP-Press

São Tomé, 28 Mai (STP-Press) –   A escritora são-tomense, Conceição de Deus Lima [São] e o compatriota Albertino Bragança, foram apontados pela RDP-África, como os elegíveis de São-Tomé e Príncipe ao Prémio Camões, este fim-de-semana no programa “Debate Africano”, nos comentários a atribuição do Camões-2018, ao cabo-verdiano Germano Almeida.

A elegibilidade dos dois escritores são-tomenses, “São” Deus Lima e Albertino Bragança, foi “frontalmente” defendida por um dos comentadores do debate, o são-tomense Abílio Neto logo após a intervenção do seu colega de Cabo-Verde, José Luís Almada que comentou a atribuição do prémio Camões-2018 ao seu compatriota, Germano Almeida.

Tendo também felicitado o escritor  cabo-verdiano, Germano Almeida como justo vencedor do prémio, o comentador Abílio Neto de São Tomé Príncipe, mesmo enfrentando críticas dos colegas sobre eventual lobby, citou, frontalmente, os nomes de Conceição Deus Lima e Albertino Bragança, como são-tomenses “com méritos literários” para também conquistar o prémio Camões.

“É óbvio que a São Deus Lima chegará lá [ao Prémio Camões] ” disse, Abílio Neto tendo sublinhado que “não tenho grandes dúvidas que ela [São Lima], terá méritos literários para lá chegar”.

E depois questionado por um dos seus colegas comentadores, se a São Deus Lima seria a única elegível de São Tomé e Príncipe, Abílio Neto respondeu que “ o Albertino Bragança também pode lá chegar”.

“ Só que temos problema com os dois [São e Albertino], que é o problema nacional por excelência” disse Abílio Neto argumentando que “ para que um deles ganhe divulgação internacional é preciso que os nacionais apoderem deles. Têm que lê-los. ”

Além de criticas a “elite são-tomense”, por falta de leitura, sobretudo, as obras dos conceituados escritores nacionais, Abílio Neto lamentou o subaproveitamento nas redes sociais, face-book, nas quais muitos compatriotas se limitam em “politiquices ” em detrimento de “debates culturais relevantes” visando a projeção internacional do País.

Formada em jornalismo, Maria da Conceição de Deus Lima, vulgo, São Lima, é a escritora são-tomense mais traduzida da literatura contemporânea, com poemas traduzidos em alemão, espanhol, inglês, francês, italiano, servo-croata, turco e árabe a luz de brilhantes publicações como “O Útero da Casa” em 2004, “A Dolorosa Raiz do Micondó” 2006, “O País de Akendenguê”, 2011 e Quando Florirem Salambás no Tecto do Pico” em 2015.

O escritor são-tomense, Albertino Bragança que exerceu vários cargos ministeriais no País, lançou em Agosto último, “Ao Cair da Noite”, o seu mais recente livro, juntando aos outros cinco, dos quais se destaca o conhecido “Rosa do Riboque” convertido num filme e já traduzido por algumas editoras em outras línguas estrangeiras.

Fim/RN

#Por ouvir Registo Áudio da STP-Press#

Declaração:comentador Abílio Neto, Debate Africano/RDP-África

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome