Por: Ricardo Neto, jornalista da Agência Noticiosa STP-Press

São-Tomé, 11 Jun ( STP-Press)- O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada presidiu sábado a cerimónia de oficialização da Polícia Judiciária, PJ em substituição da antiga Polícia de Investigação Criminal, PIC tendo anunciado para breve a introdução  de escutas telefónicas para “facilitar os trabalhos” da própria PJ, e também do Ministério Público.

Tendo admitido para breve a introdução de escutas telefónica nas investigações judiciárias, Patrice Trovoada sublinhou que “é uma questão que nós vamos ter de resolver o mais rapidamente possível, quer para facilitar o trabalho do Ministério Público e também, evidentemente, da Polícia Judiciária”.

Primeiro-Ministro acrescentou que “eu estou convencido de que quando nós adquirirmos meios de escuta, controlados evidentemente pela justiça, através do Ministério Público, a sociedade também mudará os seus comportamentos”.

Depois de declarar que a oficialização da PJ se enquadra no processo de reforma do sector judiciário, Patrice Trovoada sublinhou que “Essa reforma que toca todo o setor da justiça, ela pode ser mal interpretada por alguns, mas é preciso perceber que ela é uma exigência da própria sociedade, que é uma exigência também para o desenvolvimento económico de São Tomé e Príncipe”.

Tendo sublinhado que nesta reforma “não há espaço para pessoas sem a competência necessária nem para aquelas que queiram usar o sistema para benefícios próprios”, Trovoada concluiu que “Quem quiser fazer política, não é nesta casa [PJ], não é nos tribunais, não é na Procuradoria”.

Fim/RN

Ouça a declaração do Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome