São-Tomé, 10 Ags ( STP-Press ) – Um tribunal de São Tomé e Príncipe decretou na noite de quinta-feira a prisão preventiva para cinco suspeitos de uma tentativa de subversão da ordem constitucional no País, revelou hoje à STP-Press fontes judiciais.

Os cinco arguidos são três cidadãos espanhóis e dois são-tomenses detidos sexta-feira pela polícia judiciária são-tomense sob suspeita de uma “operação terrorista” que visava, segundo dados recolhidos pelas autoridades, o sequestro do Presidente da República, Presidente do Parlamento e a eliminação física do Primeiro-Ministro.

Dados policiais revelaram que foram também aprendidos material bélico, facas de mato, granadas, binóculos e óculos de visão noturna, uniformes estrangeiros com distintivos nacionais, numa acção de desmantelamento que contou apoio de Países amigos e a INTERPOL.

Fontes judiciais disseram que a decisão da prisão preventiva foi tomada pelo juiz de instrução criminal, António Bonfim Gentil, de modo a garantir, sobretudo, a segurança aos elementos de prova e evitar quaisquer incidentes no âmbito do processo.

Na quarta-feira, o governo emitiu um comunicado solicitando a colaboração e apoio de todos em relação aos trabalhos de investigação em curso com vista ao “esclarecimento cabal” face a alegada operação tendo citado as instituições públicas e privadas e, em particular “das instituições encarregues da descoberta da verdade e da aplicação da lei”.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome