Texto: Ricardo Neto ** Foto: Lorenço da Silva

São-Tomé, 27 Ags ( STP-Press ) – O Presidente de São Tomé e Príncipe, Evaristo Carvalho defendeu hoje que a polícia nacional deve sempre ajustar-se as exigências de cada momento, reestruturando-se, formando quadros, aperfeiçoando as suas técnicas face aos crescentes desafios do mundo moderno e da globalização.

Evaristo Carvalho, que exerce também as funções de Comandante Supremo das Forças Amadas do País, fez esta declaração por ocasião do 43º aniversário da institucionalização da Policia nacional de São Tomé e Príncipe em cerimónia oficial das festividades esta manhã nas instalações do Comando Distrital de Agua-Grande, nos arredores de São Tomé.

“ A polícia nacional deve sempre ajustar-se às exigências de cada momento, reestruturando-se, formando quadros, aperfeiçoamento as suas técnicas e de modos de intervenção, equipando-se com meios mais modernos e eficazes, recrutando e integrando no seu seio novos agentes com o firme propósito de fazer face aos crescentes desafios que o mundo moderno e a globalização se nos colocam cada dia mais” – sublinhou o Chefe de Estado República.

Além de ter reconhecido “os visíveis esforços que vêm sendo feitos para que o País tenha uma polícia a altura dos desafios” da modernidade Presidente da República congratulou-se com a criação do Grupo de Intervenção e Segurança, GIS, que passou a integrar nas fileiras da Policia Nacional para “combater eficazmente a criminalidade, manter a ordem e também garantir a segurança de pessoas e bens”.

“ A segurança não é nem jamais poderá ser um problema exclusivo do governo e do Comando Geral da Polícia Nacional” disse o Chefe de Estado são-tomense, tendo sublinhado que “ para o cumprimento exemplar de uma tal missão, precisamos de reforçar a coordenação das múltiplas acções empreendidas pelos diferentes órgãos e instituições estatais e vocacionadas para o efeito.”

Tendo ainda argumentado que “ a ordem pública, a segurança individual de cada um de nós e de toda a sociedade são e devem ser sempre consideradas como um problema e uma preocupação de todos.”, Evaristo Carvalho considera tratar-se de “ uma missão espinhosa, mas absolutamente necessária e indispensável” a manutenção da ordem pública, no respeito “escrupuloso” da constituição.

Além de defender o reforço da cooperação internacional, sobretudo, no domínio de troca de experiência e formação de quadros, Evaristo Carvalho agradeceu apoio e contribuição à Policia Nacional por parte dos “Países amigos” particularizando os Estados membros da CPLP.

A cerimonia contou ainda com o discurso do Camandate Geral da Policia Nacional de São Tomé e Príncipe, o Superintendente, Domingos Papa, bem com acto de promoção, seguido de convicio de confraternização entre as entidades presentes, oficiais superiores, subalternos, agentes policiais, funcioários e convidados

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome