São-Tomé, 11 Out ( STP-Press) –  A juíza são-tomense, Natacha Amado Vaz decidiu solicitar ao Tribunal Constitucional o seu afastamento no processo de apuramento distrital de Água Grande no âmbito das eleições de domingo no arquipélago., soube-se hoje em São Tomé.

Na segunda-feira, durante o processo de apuramento de votos nulos e brancos, a juíza Natacha Amado Vaz, acusada pela oposição de tentar favorecer o partido ADI, o vencedor das legislativas de domingo, tendo a sua viatura sido queimada em frente a sede eleitoral por alguns populares revoltosos alegadamente afetos a oposição.

No seu comunicado de afastamento, a juíza sublinha que “a Comissão Eleitoral Nacional [CEN] nem o Tribunal Constitucional [TC] diligenciaram no sentido de esclarecer os partidos políticos e a população que o procedimento feito pela Comissão Distrital de Água Grande corresponde a prática em todos os processos eleitorais.

Daí que, a magistrada justifica que decidiu solicitar ao Tribunal Constitucional o seu afastamento no processo de apuramento distrital de Água Grande e, por conseguinte, pediu a sua substituição.

A magistrada considera que da parte da CEN e do TC, “não foi esclarecida publicamente essa situação para eliminar suspeição” sobre a sua pessoa e o seu bom-nome, além de que estes incidentes “impediram a continuação dos trabalhos”.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome