Por: Ricardo Neto, Jornalista da Agência de Notícias STP-Press

São-Tomé, 23 Out ( STP-Press) – A à Z das eleições de 07 de Outubro em São Tomé e Príncipe no alfabeto da Agência de Notícias STP-Press:

A-ADI, o vencedor das eleições legislativas de 07 de Outubro com a maioria simples de 25 deputados e tendo já assegurado que irá formar o próximo governo da República, gera sem dúvidas, a grande expectativa neste processo eleitoral são-tomense, uma vez que o partido de Trovoada não dispõe sustentabilidade parlamentar. Um autêntico ver para crer na terra Santa, o Santo Tomé.

B-Beatriz Azevedo, a antiga deputada do MLSTP-PSD que apesar de desfiliar-se dos sociais democratas vai reaparecer no próximo parlamento como deputada do Movimento Cidadãos Independentes, de Cauê,: A história de boa filha à casa regressa, mas, com outras cores.

C– Cassandra, o apelido de José Cardoso Cassandra, “Tozé”, reeleito pela quarta-vez consecutiva Presidente do Governo Regional do Príncipe e com maioria absoluta, transformando-se num autêntico “Rei” nas terras dos Príncipes.

D– Derrotados na eleição regional do Príncipe, Nestor Umbelina da MVDP e Luís dos Prazeres “Kapala” aceitaram de pronto os resultados saídos das urnas e felicitaram o vencedor José Cardoso Cassandra e ainda se disponibilizaram em ajudá-lo. Um clássico exemplo da democracia na ilha dos Papagaios.

 

E-Elsa Garrido, a líder do Partido Verde. Apesar de não conseguir mandatos teve a coragem e determinação de se candidatar e fazer ouvir a sua voz. Grande exemplo de autopromoção em matéria de questão do género.

F-François Fall, o nome do já conhecido representante das Nações Unidas, que mais uma vez, esteve no território são-tomense por causas das eleições, tendo mais uma vez sublinhado “ a boa experiência de São Tomé e Príncipe em alternância democrática e estabilidade sociopolítica”. O bom aluno da democracia africana.

G-General de nacionalidade angolana, que fez parte da delegação da CEEAC, que numa visita as instalações do Tribunal de Constitucional em pleno apuramento dos resultados definitivos das legislativas, teve depois de abandonar o recinto pela porta traseira por pressão de elementos da população. Uma verdadeira retirada estratégica do General da Paz.

H-Hora, foi uma das maiores promessas do líder e candidato do MLSTP-PSD, Jorge Bom Jesus em campanha eleitoral, sublinhou, por várias vezes, que irá mudar a actual hora são-tomense como primeira medida na qualidade de Primeiro-Ministro. Mudança da hora no primeiro conselho de ministros dos sociais-democratas.

I-Ir “Mais Longe” foi o slogan da campanha do partido ADI que significava a continuidade da eletrificação, água potável e a infraestruturação do País rumo ao desenvolvimento sustentável. Ir mais longe numa aspiração política do líder Trovoada.

J-Jorge Bom Jesus, ex-ministro da educação são-tomense, que assumiu a liderança do MLSTP-PSD e levando o partido a disputar hoje o direito de governar o País com uma maioria sustentável. Contra facto não há argumentos. O Jesus de Jorge parece ter operado nestas eleições a teste do partido do Riboque.

K-Kapala, batizado de Luís dos Prazeres, que na qualidade de candidato do MLSTP-PSD a eleição regional do Príncipe não conseguiu eleger nenhum deputado, podendo-se com isto, considerar de uma experiência para os próximos voos políticos do conceituado Comandante de aviação civil são-tomense.

 

L-Levy Nazaré, o secretário-geral do ADI que assumiu alguns “mega” comícios campanha do partido na ausência do líder Patrice Trovoada. Levy (de) Nazaré teve classe, determinação e coragem, nesta árdua missão eleitoral. Por isso, quem sabe, poderá ter sido uma espécie de teste ou balão de ensaio para uma futura eventual liderança.

M-MLSTP-PSD, o segundo partido mais votado nas eleições legislativas de 07 Outubro, subindo de 16 para 23 deputados e ainda vencedor absoluto das eleições autárquicas ao conquistar três câmaras distritais, nomeadamente, Agua-Grande, Cantagalo e Lembá, podendo ainda partilhar duas. Um verdadeiro renascimento do MLSTP-PSD guiado por Jesus, o Jorge.

N-Natacha Vaz, a juíza que teve de afastar-se da comissão de apuramento dos resultados distritais a nível de Agua-Grande por actos de violência que culminou com incêndio a viatura da supracita magistrada numa ação que manchou, claramente, o processo eleitoral são-tomense de 2018. Foi realmente, a violência da crise pós-eleitoral.

O-Oposição, formada pela segunda e  terceira forças mais votadas nas eleições legislativas, designadamente, o MLSTP-PSD e a coligação PCD-MDFM-UDD declara ter a sustentabilidade parlamentar para assumir a governação do País nos próximos quatros anos, “ Nós, os partidos da oposição declaramos ter condições com 28 deputados poder assumir a liderança do próximo governo” disse Jorge Bom Jesus, líder do MLSTP-PSD, e candidato ao cargo de Primeiro-Ministro.

P-Patrice Trovoada, líder do ADI, partido vencedor das eleições legislativas com a maioria simples de 25 deputados, volta a deixar tudo em aberto ao admitir a hipótese de não poder vir chefiar o próximo governo a ser formado por seu partido. Foi numa recente entrevista a Agência Lusa, na qual, Trovoada defendeu um entendimento alargado entre os partidos mais votados nas legislativas, para uma governação estável do País. Mais uma vez tudo em aberto face a decisão e a estratégia de Trovoada.

Q-Querela da campanha foi sem dúvidas a provocação lançada por Patrice Trovoada questionado porquê que o seu adversário político [Jorge Bom Jesus] não baixa também as calças, e este Jorge Bom Jesus além de ter considerado o comportamento de [Trovoada] de “baixo” nível desorientado pela derrota eleitoral, sublinhou que “ a provocação que veem debaixo não me atinge”.

R– Resultados gerais e defetivos das eleições legislativas divulgados pelo Tribunal Constitucional são de ADI com 25 Mandatos, MLSTP-PSD, 23, Coligação PCD-MDFM-UDD com 5 e Movimento dos Cidadãos Independentes com dois mandatos. Um resultado que gera muitas expectativas quanto a futura estrutura governativa do País.

 

S– “Se [governo] não tiver sustentabilidade parlamentar, vai haver perda de tempo”- defendeu Leonel Mário d’ Alva, o antigo primeiro-ministro são-tomense e porta-voz do grupo de ex-presidentes, Manuel Pinto da Costa e Miguel Trovoada numa missão de busca de solução para a crise pós eleitoral. Um trio em busca do consenso já destapado.

T– Tribunal Constitucional foi a instituição jurisdicional mais vigiada e mais pressionada, sobretudo por grupos de populares apoiantes de candidaturas, durante os trabalhos de reavaliação dos votos nulos e brancos para o apuramento geral e definitivo dos resultados das eleições legislativas. Tribunal debaixo da pressão eleitoral.

U- Umbelina, o apelido de Nestor Umbelina, o líder do MVDP que foi a segunda força mais votada na regional do Príncipe ao conquistar dois dos sete mandatos a Assembleia Regional do Príncipe, sendo, por isso, uma verdadeira obra de arte nesta primeira aventura política de Nestor Umbelina.

V- Vigília defronte ao Tribunal Constitucional durante apuramento dos resultados definitos das legislativas, foi uma cena inédita protagonizada por alguns apoiantes de candidaturas e que contou com a participação de um antigo comandante da polícia que se ajoelhou defronte ao Tribunal e pediu ao Santo Tomé Poderoso para abençoar os são-tomenses.

W– Web-Site da Agência STP-Press voltou a disparar em termos de audiências com a cobertura das eleições de 07 de Outubro subindo de uma média de 2.100 visualizações diárias para 5.200 sobretudo na semana antes e depois do escrutínio. Intitulada de “ ADI de Trovoada admite coligar-se com MLSTP-PSD de Jesus ou com Coligação de Carvalho” foi a notícia mais lida das eleições com 8.150 visualizações. Facto que ultrapassou o record registado na altura dos jogos da CPLP.

X– Xadrez político resultante das legislativas de 07 de Outubro mostra-nos varias saídas governamentais. A primeira seria claro um governo minoritário do ADI que poderá vir a cair ou quem sabe resistir no parlamento. Segundo seria a “geringonça” um governo maioritário MLSTP-PSD em aliança com a Coligação-PCD-MDF-UDD. Terceira um governo de ADI em negociatas individuais com  deputados (mesmo) da oposição ao estilo “voto do deputado português Daniel Campelo”, o queijo Limiano. Quarta um Executivo com figurino de unidade nacional dentre outros possíveis formatos. Quem sabe? A ver vamos as peças do xadrez político são-tomense.

Y– Yellow and blue t-shirt, foram as cores que dominaram o mosaico eleitoral do partido ADI, um dos mais fortes em termos de logística no período da campanha, em grandes comícios de música e dança com cantores nacionais e internacionais, percorrendo por todos os distritos de São Tomé bem como a ilha autónoma do Príncipe. Foram realmente espetáculos de luxo e com muita organização.

Z- Zacaria da Costa, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste foi quem chefiou a missão dos observadores internacionais as eleições de 07 de Outubro, tendo declarado que as mesmas “decorreram com base no respeito dos princípios democráticos e direitos políticos consagrados na Constituição do País” A terra do nome Santo: São Tomé e Príncipe.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome