São-Tomé, 30 Out ( STP-Press) – O governo são-tomense decidiu orientar aos órgãos de defesa e segurança para empreenderem de imediato todas as medidas necessárias a manutenção da ordem pública, salvaguarda da integridade física dos cidadãos e seus bens bem como bens públicos, face aos últimos acontecimentos pós-eleições de 07 de Outubro – soube-se hoje de fonte governamental.

De acordo com o comunicado enviado a STP-Press, o “governo decidiu orientar os órgãos de defesa e segurança no sentido de empreenderem imediatamente todas as medidas necessárias tendentes a manutenção da ordem pública, salvaguarda da integridade física dos cidadãos e seus bens, bem como de bens públicos”.

Além de apelo a “tranquilidade, a ordem e a paz características próprias do povo são-tomense”, o governo rejeita ainda “todas as práticas que colocam em causa a imagem do País bem como a democracia”.

O comunicado do governo surge 72 horas depois de surgimento de barricadas montadas em várias localidades por grupos de populares que reclamam falta de energia que é fornecida pela EMAE, a Empresa Nacional de água e luz electrica.

Um dia depois das eleições legislativas de 07 de Outubro, um grupo de revoltosos incendiou uma viatura de uma juíza que integrava a comissão de apuramento dos resultados defronte a sede distrital de Agua-Grande na capital de São Tomé.

Alegando o estatuto de vencedor das legislativas com a maioria simples de 25 deputados, o partido ADI tomou a iniciativa de formar o governo enquanto do outro lado, a oposição formada por MLSTP e a coligação PCD-MDFM-UDD, reclama o direito de governar numa aliança com a sustentabilidade parlamentar de 28 deputados, a luz de um acordo de incidência parlamentar entre as duas forças.

Nas legislativas de 07 de Outubro, ADI foi o partido vencedor com a maioria simples de 25 dos 55 deputados ao parlamento, seguido do MLSTP-PSD, com 23, coligação PCD-MDFM-UDD com 5 o Movimento de Cidadãos Independentes com dois deputados.

Fim/RN

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome