Por: Ricardo Neto, Jornalista da Agência de Notícias STP-Press 

São-Tomé, 09 Nov. ( STP-Press) – O Ministério Público de São Tomé e Príncipe acusou, quinta-feira,  20 arguidos de vários crimes, envolvendo a tentativa de subversão da ordem constitucional, resultante da investigação de uma alegada tentativa de golpe de Estado, denunciada há quatro meses pelas autoridades e foças nacionais.

“A Procuradoria-Geral da República dá assim por concluído um processo de investigação de mais de dois meses, levado a cabo pela Polícia Judiciária são-tomense e que contou com apoio de Portugal e da Interpol”, lê-se no supracitado comunicado a que a STP-Press teve acesso.

O documento do Ministério Público acrescenta que “deduzidas que estão as acusações, o processo segue de imediato para o Tribunal de Primeira Instância para efeito de julgamento”.

Dos arguidos, constam três cidadãos espanhóis e dois são-tomenses detidos preventivamente na sequência do desmantelamento da alegada operação que supostamente visava, basicamente, atingir o Presidente da República, Presidente da Assembleia e o Primeiro-Ministro.

As autoridades e forças são-tomenses revelaram há quatro meses terem impedido uma ação terrorista que visava, o sequestro do Presidente da República, do presidente da Assembleia Nacional e a eliminação física do primeiro-ministro.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome