Texto: Ricardo Neto ** Foto: Lourenço da Silva

São-Tomé, 03 Dez ( STP-Press) – O Primeiro-Ministro são-tomense, Jorge Bom Jesus declarou hoje que “ o combate a corrupção será a bandeira” do seu governo empossado hoje pelo Presidente da República, Evaristo Carvalho em cerimónia realizada esta manhã  no palácio presidencial na capital de São-Tomé.

“ O combate a corrupção será a bandeira deste governo” disse Jorge Bom Jesus no seu discurso de investidura tendo sublinhado que “ quero pedir a colaboração da sociedade civil para juntos levarmos a cabo este combate de maneira frontal e no quadro de instrumentos legais previstos na nossa arquitectura jurídica”.

“É um imperativo nacional que os responsáveis pela gestão danosa e pelo desvio de dinheiros e bens públicos comessem a ser criminalmente responsabilizados” – disse Jesus tendo anunciado uma avaliação permanente ao desempenho dos membros do seu executivo e das direcções intermédias da administração pública de modo a corrigir erros e imputar as responsabilidades.

“Esta é uma linha vermelha que deixo aqui publicamente traçada e da qual não me desviarei ao longo do mandato” disse o Primeiro-Ministro, tendo acrescentado que “ estamos sempre disponíveis para receber as contribuições de todo o nosso povo, de todos os amigos e dos nossos adversários com toda abertura e espírito de tolerância”.

Tendo reconhecido “as enormes dificuldades que esperam este governo”, Jorge Bom Jesus anunciou para “as próximas semanas um diagnóstico público para conhecer a situação real de todos os sectores da actividades do País sem qualquer intuito de culpabilização”, mas segundo Jesus com objectivo de “finalizar o programa de governo para enfrentar as situações de emergências” do âmbito social, financeiro e económico.

Além de ter assegurado o reforço da cooperação bilateral e multilateral com os parceiros internacionais, Jorge Bom Jesus sublinhou que “ teremos uma postura de continuidade do Estado” envolvendo todos os actores institucionais e em particular o Chefe de Estado são-tomense, Evaristo Carvalho.

“ Aos nossos parceiros no domínio privado, nacionais e estrangeiros queremos garantir uma relação aberta e dialogante, criando condições para que exerçam as suas actividades sem entraves…”. acrescentou o Chefe do Governo.

Ainda no seu discurso, Jorge Bom Jesus disse que “ não posso deixar de lamentar e condenar o facto de, uma vez mais, não se ir cumprir com o processo de passagem de pastas, pelo menos por parte do meu antecessor, o que naturalmente poderá condicionar as acções imediatas do novo governo”, sublinhando depois a ressalva de que o ministro da Defesa cessante ficou com a missão de lhe passar a pasta do Primeiro-Ministro.

“ Nenhum trovoada dura para sempre”, disse Jorge Bom Jesus numa das passagens do seu discurso quando se referia que “depois da chuva, a vida sempre renasce” numa clara crítica ao seu antecessor, tendo por outro lado, garantido que o seu governo irá adoptar  uma atitude de “humildade, trabalho, fé e esperança que “o amanhã será melhor”.

Fim/RN

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome