Jocy Barros quer presidir Federação São-tomense de Futebol

0
175

São Tomé, 07 de Jan ( STP-Press)  – O antigo internacional são-tomense, Jocy Barros, anunciou, este fim-de-semana, em Lisboa, que vai candidatar-se às eleições à presidência da Federação São-tomense de Futebol, FSF, marcadas para o próximo dia 18 da Janeiro.

Numa entrevista ao Jornal “A BOLA”, Jocy Barros assegurou que  “o meu grande objectivo é combater o estado de inércia em que se encontra o Futebol de São Tomé e Príncipe e a sua federação”, tendo reconhecido que “uma federação bem organizada poderá ter um papel mais importante não só a nível desportivo como também a nível social, papel muitas vezes esquecido pelas instituições Públicas do nosso País.”

Jocy Barros, licenciado em Ecoturismo na Escola Superior Agrária de Coimbra, considera que “ o futebol é muito mais do que dar um pontapé para a frente”, argumentando que “ bem dinamizado e organizado poderá ter um papel integrador, educativo e bastante activo na sociedade.”

O antigo internacional são-tomense, que ainda não oficializou a candidatura, por conseguinte, acrescenta que no quadro desta modalidade “outra vertente que deve ser estimulada é o alcance do futebol como actividade profissional, tendo sustentado que “existem muitos jovens com talento que não são potenciados”, assim sendo “vou fazer valer a minha candidatura Segundo o Artigo 32º e 39º do Estatuto da mesma Federação”, concluiu.

Dois elementos nacionais, de acordo com Jocy Barros, com alguma experiência internacional, integram-se nas equipas de trabalho, nomeadamente Duarte Machado, antigo capitão do Belenenses e actual administrador do Lusitano de Évora SAD, e Luís Boa-Morte, o antigo internacional português e actual treinador dos sub-23 do Portimonense, elementos que, na sua perspectiva, oferecem maior qualidade e transparência na Federação e, simultaneamente melhoraram a imagem da Federação”.

Pronunciando sobre a forma da marcação da data das eleições, Jocy Barros critica a actual federação, na medida em que “a marcação da assembleia geral chegou aos clubes no dia 2 de Janeiro de 2019, às 18h, estipulando a entrega das candidaturas para o dia seguinte ate às 17h, o que só por si é irregular e contra o prazo que está estipulado nos estatutos da federação de um mês,  esta é mais uma irregularidade cometida pela actual federação.”

A suposta pretensão de candidatura de Barros tem pela frente a actual liderança de Nino Monteiro e da recente oficialização da candidatura do Coronel e ex-presidente da Federação São-Tomense de Futebol, FSF, Idalécio Pachire.

Fim/AD

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Seu nome