Por: Manuel Dendê, Jornalista da Agência de Notícias STP-Press 

São Tomé, 08 jan. 2019 (STP-Press) – Autoridades São-tomenses acabam de dar início em São Tomé e Príncipe ao 15º ciclo de pulverização intra-domiciliária no país, – disse hoje, em São Tomé, uma fonte sanitária.

Segundo a fonte, a pulverização que vai durar cerca de dois meses, abarca quatro distritos na ilha de São Tomé, dos quais, Lembá, no norte, Caué, no sul, Cantagalo, no centro/sul e Lobata, no centro/norte.

De acordo com Domingas Batista, médica, Delegada de Saúde de Lobata, o arranque deste ciclo, dá sequência ao que envolveu os distritos de Mé-Zóchi e Água Grande, zonas mais populosas de São Tomé e Príncipe.

Hamilton Nascimento, Coordenador do Programa de Luta Contra o Paludismo reconhece que o país alcançou algumas conquistas, mas adverte que autoridades, a luz de reajustes já efectuados no plano de luta anti palúdica, “deve velar pela eliminação do vetor de uma forma cabal em São Tomé e Príncipe”.

Pontuou que “apesar de há pouco mais de um ano que não se morre de paludismo no país”, facto que na sua óptica, “é uma grande vitória”, não se deve descurar medidas de combate até a eliminação nos próximos dez anos.

Sublinha-se que Paludismo é uma doença que nos anos 80, ceifou muitas vidas em São Tomé e Príncipe e hoje, a doença encontra numa fase de eliminação, com resultados bastante positivos em algumas regiões do país, nomeadamente, a região autónoma do Príncipe e na zona centro e norte da Ilha de São Tomé.

O projecto de eliminação da doença em São Tomé e Príncipe conta, entre outros, com parceiros bilaterais e multilaterais.

Fim/MD

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome