Texto: Ricardo Neto ** Foto: Lourenço da Silva e António Amaral “Mamata”

São-Tomé, 11 Jan ( STP-Press ) –  O Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho recebeu cumprimentos do Ano Novo de várias entidades nacionais e estrangeiras esta manhã no palácio presidencial, em cerimonia, na qual o Primeiro-Ministro Jorge Bom Jesus pediu a Deus que lhe desse “sabedoria e bom-senso” de modo a se “garantir a estabilidade e paz” rumo ao “progresso sócio-económico” do País.

Tendo sido o primeiro a saudar o Presidente da República, o Primeiro-Ministro, Bom Jesus disse que “ esse início do novo ciclo é sempre um renovar de esperança que Deus lhe dê de facto sabedoria, perspicácia, bom senso, enquanto alto magistrado da Nação, para que esteja acima das querelas partidárias e que nos ajude a garantir a estabilidade e a paz e sobretudo, o progresso social, económico e financeiro” do País.

Partilhando a mesma mensagem de Bom Jesus, o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Silva Cravid disse que “a perspectiva para 2019 é de teremos uma justiça mais consentânea e que nos deixem trabalhar” tendo depois acrescentado que “ apelo para que as pessoas pensem mais no País ao invés de querelas pessoas que não nos levam ao lado nenhum”.

Tendo também manifestado o desejo de um bom ano ao Chefe de Estado são-tomense, o Vice-Presidente da Assembleia Nacional Guilherme Octaviano, sublinhou que “ queremos que tudo corra em paz com o maior sucesso para o nosso povo a quem nós juramos trabalhar”.

A cerimónia protocolar iniciou por volta das 10 horas locais com as saudações apresentadas pelos titulares dos órgãos da soberania, nomeadamente, o Vice-Presidente da Assembleia Nacional, Guilherme Octaviano, Primeiro-Ministro, Jorge Bom Jesus, o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Silva Cravid, e o Presidente do Tribunal de Contas, José António Monte Cristo.

Além dos membros do Governo, dos membros do conselho do Estado, o Presidente da República recebeu também cumprimentos dos magistrados judiciais, dos titulares dos órgãos de Defesa e Segurança, dos partidos políticos, das eclesiásticas, dos sindicatos, organizações civis, dentre outras.

Fim/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome