Política

Deputados infanto-juvenis fazem ouvir a sua voz na Assembleia Nacional

http://www.abola.pt/img/fotos/ABOLA2015/saotome/

São Tomé 20 jun. (STP-Press) –  Autoridades São-tomenses celebraram, na última sexta-feira, 16 de junho, dia da Criança Africana, com adopção do Parlamento Infanto-Juvenil de São Tomé e Príncipe, - soube-se nesta cidade.

Ao todo, participaram no hemiciclo 55 pequenos deputados, número legal da Câmara de Deputados do País e o propósito, visa dar liberdade democrática as crianças para identificarem seus próprios problemas e soluções.

Marcaram presença na cerimónia inaugural, além do Presidente da Assembleia Nacional, José da Graça Diogo, várias outras entidades nacionais e estrangeiras, com destaque para vários Deputados e representantes de várias instituições como: UNICEF, ONG ACASTEP, Fundação da Criança.

Dar a conhecer o significado do mandato parlamentar e o processo de decisão da Assembleia Nacional, enquanto órgão representativo de todos os São-tomenses.

É igualmente objectivo das autoridades, incentivar o interesse dos jovens pela participação cívica, política e valorizar a contribuição para à resolução de questões que afectam o seu presente e o futuro individual e colectivo, fazendo ouvir as suas propostas junto dos órgãos do poder político.

A faixa etária dos alunos escolhidos pelas autoridades educativas variam entre 10-17 anos e um perfil baseado no bom aproveitamento escolar e bom comportamento, boa comunicação, capacidade de animação e reconhecimento de dinâmicas de interacção em grupo, capacidade de abordagem participativa, experiencia de trabalho com actores institucionais civil, conhecimento dos direitos da criança e excelente capacidade de redacção e análise de várias temáticas.

O Dia da Criança Africana institucionalizado pela Organização de Unidade Africana “OUA” em Addis-Abeba, Etiópia, desde 1991, é comemorado a 16 de junho, em memória dos meninos negros do Soweto, massacrados em 1976 por terem protestado contra a discriminação no ensino.

Neste acontecimento, milhares de estudantes negros do Soweto, África do Sul, na sua manifestação exigiram às autoridades de Pretória uma melhor educação e aprendizagem das línguas nativas em vez de unicamente o inglês.

Apesar dos acontecimentos tristes, foram reconhecidas 11 línguas nacionais entre o “Afrikaans” nas escolas, sendo o inglês ficado na 12ª posição oficial. 

Fim/MD

 

 

 

  Av. Marginal 12 de Julho – S. Tomé

Cidade de São Tomé – Telefone: n.º (00239) 2 222087 / (00239) 2 2223431- C.P. n.º 12 - E-mail:

© STP-PRESS. Todos os direitos reservados. © - web designer: João Soares

:: Política | Sociedade | Economia | Cultura | Entrevista | Desporto | Quem Somos | Contacto |  Arquivo |  Fórum ::