Governador do Banco Central apela a calma face a introdução da nova DOBRA em janeiro

Por: Jornalista Manuel Dênde da Agência STP-Press

 
São Tomé, 05 out. (STP-Press) – O Governador do Banco Central de São Tomé e Príncipe deu nas últimas 48 horas, uma entrevista a Televisão Pública, TVS, onde apelou a calma, compreensão face a reforma monetária em curso no país.
 
Em declarações a TVS, no Programa «50 Minutos», na última terça-feira, Hélio de Almeida, afirmou que a reforma monetária, da qual vai resultar na introdução da nova “Família da Dobra”, moeda são-tomense, não vai provocar desgaste económico ou qualquer perturbação para os cidadãos.
 
Esbatendo eventual confusão face a introdução de novos valores faciais da “Nova Família da Dobra”, Hélio de Almeida, exemplificou, com qualquer cidadão que “vai comprar um pão de massa bruta de 5.000 Dobras, ao dar uma nota de cinco Dobras, recebe um pão”.
 
“Portanto, não vejo onde possa haver confusão”, garantiu, insistindo que a instituição que dirige vai continuar a fazer acções de sensibilização, visando dar a conhecer as pessoas a importância e o valor da “Nova Família da Dobra”.
 
De acordo com este responsável, a introdução da “Nova Família da Dobra”, justifica-se pelo uso desgastante de notas, e do Banco Central respeitar a legislação internacional vigente quanto a reforma, comportando mudanças de sete a 10 anos onde se observa a substituição das moedas.
 
Disse, também, que a mudança das notas visa proteger a economia, dando segurança as moedas, evitando a hipótese das mesmas serem objecto de qualquer falsificação.
 
 
Fim/MD

 

 

 

  Av. Marginal 12 de Julho – S. Tomé

Cidade de São Tomé – Telefone: n.º (00239) 2 222087 / (00239) 2 2223431- C.P. n.º 12 - E-mail:

© STP-PRESS. Todos os direitos reservados. © - web designer: João Soares

:: Política | Sociedade | Economia | Cultura | Entrevista | Desporto | Quem Somos | Contacto |  Arquivo |  Fórum ::