Arranca a campanha anti palúdica em

São Tomé e Príncipe

Resultado de imagem para pulverização nas casas em são tomé e príncipe

São Tomé, 05, jul. (STP-Press) – São Tomé e Príncipe deu início terça-feira a uma nova campanha anti palúdica. 

Na ilha do Príncipe, a campanha iniciou na localidade de Sundy (norte da ilha do Príncipe), com o 13º ciclo de pulverização intra-domiciliária.

Este ciclo de pulverização vai durar três semanas de julho e a primeira semana de agosto do ano em curso. 

A cerimónia de abertura do ciclo foi presidida por António Tebúz, Secretário do Governo local para Assuntos Sociais. 

Tebúz, no acto apelou para o empenhamento dos pulverizadores, mas sustentou que a pulverização só terá êxito caso houver a colaboração da população. 

Segundo este responsável, os habitantes devem, entre outros, autorizarem e abrirem as portas de respectivas residências, para acção de pulverização. 

Para o governante, faz todo sentido a aposta anti palúdica, numa altura em que a doença está na sua fase terminal na ilha do Príncipe. 

“Gostaria em nome pessoal e do Governo, ao qual tenho a honra de pertencer, apelar a todas as pessoas para abrirem respectivas portas, autorizarem a entrada dos pulverizadores”, apelou. 

“Faz sentido essa luta anti palúdica, pois, estamos na reta final, na fase de eliminação”, acredita, sustentando que “vale a pena irmos em frente, não hesitemos, abram [as portas], porque hoje, estamos mais encorajados para vencer o paludismo”. 

De acordo com elementos recolhidos pela STP-Press, no presente ano, registaram apenas dois casos de doença de paludismo na ilha contra 40 ocorridos no ano transato. 

Por seu turno, na ilha de São Tomé, a campanha anti palúdica tem início esta quarta-feira em quatro distritos. 

Os distritos abrangidos são designadamente, Lobata (no centro-norte), Lembá (no norte), Caué (sul) e Cantagalo (centro/sul). 

Hamilton Nascimento, coordenador-geral do projecto de Luta Contra Paludismo disse que este 12º ciclo, em Caué, vai incidir, primeiramente, na localidade de Angra Toldo, região onde se regista mais incidência da tal doença. 

Sublinha-se que na ilha de São Tomé, perspetiva-se a pré-eliminação da doença em várias localidades, com destaque para o distrito de Lembá, no norte. 

Recorde-se que organismos internacionais obsequiaram São Tomé e Príncipe com diversos galardões pelo sucesso alcançado na luta anti palúdica nos últimos anos. 

Como principal causa de morte nos anos 80, paludismo, matou, em São Tomé e Príncipe, várias centenas de são-tomenses, incluindo estrangeiros. 

Fim/MD

 

 

 

  Av. Marginal 12 de Julho – S. Tomé

Cidade de São Tomé – Telefone: n.º (00239) 2 222087 / (00239) 2 2223431- C.P. n.º 12 - E-mail:

© STP-PRESS. Todos os direitos reservados. © - web designer: João Soares

:: Política | Sociedade | Economia | Cultura | Entrevista | Desporto | Quem Somos | Contacto |  Arquivo |  Fórum ::