Por: Arcângelo Dendê, jornalista da Agência Noticiosa STP-Presss

São-Tomé, 11 Mai (STP-Press) – Os Irmãos Monteiro,  designadamente, Domingos Monteiro, “Nino” e António Monteiro, deputados são-tomenses do MLSTP-PSD,  decidiram abandonar as estruturas do partido e a respectiva bancada parlamentar, passando,  para estatuto de  independente, – anunciou, quinta-feira, Domingos Monteiro, “Nino”.

A decisão dos Irmãos Monteiro, que surge na sequência dos últimos acontecimentos no âmbito do processo jurisdicional da fábrica Rosema, de acordo, com “Nino” Monteiro é assegurada por uma carta de comunicação da decisão enviada ao presidente da Assembleia Nacional bem como ao presidente do MLSTP-PSD.

“Foi uma decisão difícil, mas não tínhamos outra hipótese a não ser esta”, disse Domingo Monteiro “Nino” tendo, por outro lado, frisado tratar-se de uma decisão muito bem pensada, fruto de noites de reflexão”, “porque deixamos de ser queridos no nosso partido, são os camaradas do partido que sistematicamente têm-nos criado problemas e perseguições”, justificou.

Os Irmãos Monteiro que alegam nunca terem traído o MLSTP-PSD garantem que a decisão não se consubstancia a vontade de filiação numa outra força política qualquer, mas apenas resume-se no abandono ao MLSTP-PSD, o maior partido político da oposição são-tomense.

Há pouco mais de uma semana, o líder da bancada parlamentar do MLSTP-PSD, deputado Jorge Amado declarou que o caso Cevejeira Rosema é uma “batota” político-jurisdicional orquestrada por própria “gente” do MLSTP-PSD envolvendo juízes para retirar a fábrica aos Irmãos Monteiro por causa da “amizade” dos mesmos com o líder do ADI, Patrice Trovoada.

Interrogado há dias sobre uma eventual relação de “amizade” com os dois deputados do MLSTP-PSD, Patrice Trovoada, foi perentório em responder que “não me lembro ter visto Irmãos Monteiro a votar no ADI”

Fim/AD  

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Seu nome