Por: Ricardo Neto, da Agência de Notícias STP-Press

São Tomé, 25 fev 2022 (STP-Press) – As centrais sindicais e outros sindicatos de São Tomé e Príncipe exigiram ao Governo a fixação do salário mínimo na função pública em 4.500 Dobras (cerca de 180 euros) até segunda-feira, – anunciaram esta quinta-feira os líderes sindicais numa conferência de imprensa.

Os líderes das duas centrais sindicais, nomeadamente, Secretário-Geral da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Costa Carlos e o secretário-geral da Organização Nacional dos Trabalhadores (ONSTP), João Tavares convocaram a imprensa em reação às declarações do ministro das Finanças, sobre uma negociação com os sindicatos face ao reajuste salarial.

Segundo Costa Carlos o “reajuste não é o nosso documento. Nós estamos a discutir o salário mínimo na função pública. É preciso que isso fique claro: reajuste foi uma montanha que acabou parindo rato, proveniente do Governo”.

Enquanto João Tavares disse que “nós sabemos que estamos num ano eleitoral e a artimanha do Governo é ‘empurrar o processo com a barriga”, tendo sublinhado que “ por isso é que nós dissemos ao governo que o prazo é este mês para deixar as coisas claras, rubricar o acordo e daí para frente o Governo faz o seu trabalho e nós vamos fazer o nosso”.

Gastão Ferreira líder sindical dos professores disse que em caso de incumprimento relativamente ao prazo “nós teremos de agir”.

Actualmente, o salario mínimo da função publica ronda qualquer coisa como 50 Euros.

Fim/RN

,

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Seu nome