Economista são-tomense Ângela Viegas lança obra literária  

0
427

Por Manuel Dênde, jornalista da Agência STP-Press  

São Tomé (São Tomé e Príncipe), 04 Abr. 2022 (STP-Press) – A economista são-tomense Ângela Viegas, acaba de lançar no mercado uma obra literária denominada: “Desafios do Desenvolvimento Socioeconómico dos Microestados Insulares”. 

Trata-se de uma obra que reflecte o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe e resulta de pesquisa que serviu de tese para o seu doutoramento na Universidade Nova de Lisboa. 

A obra relata o desenvolvimento e pistas que concorreram para o avanço de pequenos Estados insulares, nomeadamente, na Ásia e aponta alguns constrangimentos e elementos que concorrem para o fraco desempenho, ainda, de São Tomé e Príncipe. 

Dos elementos realçados como avanços nesses Estados insulares, destaque para o PIB per capita e índice do desenvolvimento humano.  

E no caso particular de São Tomé e Príncipe, o livro reflete sobre múltiplos aspectos que concorrem para o fraco desempenho, comparando com factores que contribuíram para avanços destes Estados insulares, e que na sua óptica, podem ser também aplicados no país. 

Para autora da obra não se trata de “receitas traçadas, mas chegamos a conclusão que nós temos de encontrar uma acomodação geoestratégica para o nosso país e os nossos interesses”. 

No plano conclusivo, referiu a vários factores que concorrem negativamente para o retrocesso de São Tomé e Príncipe, nomeadamente questões endógenas, das quais realçou a “acomodação judicial”. 

Assinalou que a justiça é um factor para o qual deve-se dar a máxima atenção porque qualquer investidor ao apostar no país quer ver os seus investimentos seguros. 

Marcaram presença no lançamento da obra, várias individualidades, das quais pontuamos o economista Artur Vera Cruz, líder do Tribunal de Contas do país, que ao referir-se a obra considerou-a de um livro de grande qualidade literária. 

Destacou aspectos atinentes ao livro, que, sujeita-se ao plano global onde não há solução pré-concebidas mas sim adaptáveis a realidade de cada país ao contento de uma globalidade bastante presente no Mundo. 

Acácio Elba Bonfim, administrador do Banco Internacional de São Tomé e Príncipe, BISTP e antigo ministro das Finanças, disse que o livro trás indicadores válidos e susceptíveis de serem aplicados em São Tomé e Príncipe desde que se acautele na sua especificidade.     

MD/LM

STP-Press/Fim 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Seu nome